terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Centro em Campo Grande vai tratar jovens dependentes químicos

 Governo do Estado do Rio de Janeiro (extraído pelo JusBrasil) - 4 anos atrás
0
A inauguração do Centro de Tratamento para Adolescentes Dependentes Químicos em Conflito com a Lei, na manhã desta segunda-feira, pelo governador Sérgio Cabral e a primeira-dama Adriana Ancelmo Cabral, marca também o reinício das atividades do Centro de Recuperação de Dependentes Químicos (Credeq). Situado na Estrada do Campinho 4.700, na localidade de Santa Margarida, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio, o centro estava paralisado desde 2006.  Com 30 vagas, o mais novo serviço de recuperação de dependentes químicos do Novo Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), em parceria com o Credeq e com apoio da obra social Rio Solidário, será destinado exclusivamente ao tratamento de jovens do sexo masculino, na faixa entre 14 e 18 anos e, excepcionalmente, até os 21 anos incompletos que estejam no regime de semiliberdade ou sejam egressos do sistema socioeducativo. Em breve, o Credeq e o Degase abrirão em Itaguaí, na Região Metropolitana, uma unidade para meninas na mesma situação e faixa etária. - Este é um espaço, com uma filosofia super interessante de trazer meninos usuários de drogas e privados de liberdade para uma vida sadia, com comprovado sucesso. Eu tenho a certeza absoluta que daqui, a partir de amanhã, quando estes meninos estarão entrando nesta unidade, teremos condições de recuperar centenas deles, usuários de drogas. E, que são, por conta disto, envolvidos no crime - disse Cabral. O governador e a primeira-dama, acompanhados da primeira-dama do Rio, Cristiane Paes, do secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, e do presidente do Credeq, reverendo Isaías de Souza Maciel, entre outros convidados, assistiram a um vídeo, preparado pelo Degase, com imagens de unidades do órgão, agora vinculado à Secretaria de Educação, antes e depois do início do processo de reestruturação por que vem passando com apoio do Rio Solidário. O Novo Degase vem fazendo, desde 2007, uma série de remodelações, pautadas nas determinações do Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo). O órgão já mantém em sua estrutura o projeto Nossa Casa para tratamento ambulatorial de adolescentes dependentes e suas famílias, e a clínica Recuperando Vidas, para internação, com 15 leitos. O Cituad fica no complexo socioeducativo da Ilha do Governador, Zona Norte do Rio.  Presidente de honra da RioSolidário, Adriana Cabral, que também trabalhou incansavelmente pela reabertura do Credeq e a criação do novo centro de tratamento do Degase, ganhou uma placa em homenagem aos serviços prestados, entregue pelo presidente da Universidade Mackenzie e vice-presidente do Serviço de Assistência Social Evangélica (Sase), Hésio de Souza Maciel.  - Só quero agradecer. Na verdade, o que fiz foi corrigir uma injustiça muito grande que era o fechamento temporário do Credeq. E fazendo algo um pouquinho mais complexo que será entregar nas melhores mãos os adolescentes que vão ganhar a oportunidade de ter um tratamento adequado para o uso de drogas. Não tenho dúvida de que aqui vão ser recuperados - apostou Adriana Cabral.  A criação do novo centro de tratamento do Degase só foi possível graças ao convênio firmado entre o Governo do Estado e o Credeq, com apoio institucional do Rio Solidário. O Credeq tem 22 anos de experiência na recuperação de dependentes químicos. O centro já tratou mais de 10 mil pacientes e 25 mil familiares, com excelentes resultados. - A nossa metodologia funciona. Esses rapazes vão ter a chance de despertar para uma nova história em suas vidas, lidar de forma construtiva com a sociedade. Falo como quem já passou por aqui, onde cheguei acreditando que não teria mais um caminho de saída, mas o encontrei e hoje tenho filhos e netos. Uma outra hsitória! - depôs, emocionada, a coordenadora técnica do Credeq, Deise Luci Passos.   O Credeq estava sem atividade desde 2006, por causa do término do convênio que mantinha com a Prefeitura do Rio. Segundo o presidente da instituição, a prefeitura estava exigindo que o Credeq fosse transformado em unidade psiquiátrica. Com o convênio firmado com o governo do estado, o Credeq teve que renovar em 90% a equipe formada por 52 profissionais, entre pedagogos, assistentes sociais, conselheiros, psicólogos, nutricionistas, administradores e equipe técnica.   O tratamento oferecido também vai envolver a família do jovem através do Programa Familiar, promovendo nesta o reconhecimento da necessidade de também se tratar. Além disso, a assistência ambulatorial se estenderá ainda aos egressos por um ano, a contar da alta médica.

Nenhum comentário:

Quem somos

Minha foto
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - RJ, Brazil
Trabalhos voltados à Atenção Primária, Secundária e Acessoria em Dependência Química. E-Mail:dubranf@gmail.com

Drogas

Loading...

Pesquisar este blog

Como você vê a dependência química?

Arquivo do blog

Bibiliografia Sugerida

  • Alcoólicos Anôninos (Livro Azul)
  • Isto Resulta - Como e Porque (NA)
  • Viver Sóbrio

Beautiful Pictures of Campfires

Filmografia Sugerida

  • 28 Dias
  • Bicho de sete cabeças
  • Despedida em Las Vegas
  • Quando um Homem ama uma Mulher

PARA QUE ISSO?

PARA QUE ISSO?
A imagem diz tudo

LUTO

LUTO
A CIDADE ONDE NASCI FOI DESTRUIDA, MAS AINDA TÁ LÁ.